Muitas empresas do setor das indústrias já estão caminhando para uma estratégia de produção integrada, cujo objetivo é o de desenvolver uma verdadeira indústria 4.0.

Atualmente, estudos recentes confirmam que aproximadamente 30% dos CEOs das empresas já estão atuando nesse segmento, e já fizeram os seus investimentos em impressoras 3D para a estrutura de negócio das suas empresas.

Esses investimentos também envolvem algumas tecnologias de fabricação aditiva. Esses mesmos CEOs também costumam investir em sistemas de Inteligência Artificial (AI) e tecnologias de computação cognitiva.

Esses estudos geralmente comprovam que o uso de tecnologias robóticas no chão de fábrica de uma empresa tende a atrair também outros tipos de investimento.

Contexto de Mercado

O contexto atual do mercado está evoluindo para o conceito de indústria 4.0 e, por isso, as empresas estão se tornando cada vez mais digitais.

Esses investimentos em novas tecnologias de fabricação, como é o caso da impressora 3D, servem para melhorar a agilidade, a velocidade e, especialmente, a flexibilidade de uma estrutura de negócio.

A maior influência dessas tecnologias inovadoras está na criação e no desenvolvimento de novos produtos e novos serviços para as empresas. Afinal, esses são elementos fundamentais para que as cadeias produtivas das empresas consigam enfrentar a concorrência que há no mercado.

Na verdade, independente da finalidade, as indústrias já começaram a reconhecer a necessidade de investir em novas ferramentas de Inovação e P&D – Pesquisa e Desenvolvimento.

A Indústria 4.0 e a Internet das Coisas

O conceito de Indústria 4.0 é muito usado para se referir à possibilidade de estarmos vivendo em uma quarta Revolução Industrial. Inclusive, muitos autores já relacionam os dois termos para se referir ao mesmo contexto.

A Indústria 4.0 nada mais é do que a implantação da Internet das Coisas nas indústrias. A Internet das Coisas diz respeito ao uso de alguns dispositivos inteligentes que são capazes de se comunicar entre eles mesmos. Esses dispositivos também são capazes de se comunicar com as pessoas que os manuseiam.

Ou seja, quando a Indústria 4.0 é aplicada no processo de fabricação para permitir que as máquinas “conversem” entre si, essa situação acaba por otimizar o processo produtivo, porque nesse caso, as máquinas funcionam por si só e dependerão cada vez menos do manuseio das pessoas.

Principalmente no que diz respeito à manutenção dessas máquinas, as manutenções dependerão cada vez menos das pessoas. Isso porque a própria máquina conseguirá avisar quando uma próxima manutenção será necessária. É esse o conceito de “Manutenção Preditiva”.

Manutenção Preditiva consiste em uma análise dos dados históricos e da utilização de algumas técnicas estatísticas para prever quando as falhas no sistema terão mais chances de acontecer.

A Indústria 4.0 e as impressoras 3D

Uma das tecnologias mais interessantes do mercado atual e que permite um rápido crescimento para a cadeia produtiva de uma empresa são as impressoras 3D.

Uma impressora 3D sozinha tem a capacidade de transformar a forma como os produtos são atualmente fabricados. E o melhor é que uma impressora 3D pode ser aplicada em quase todos os segmentos industriais, desde os sistemas eletrônicos até os dispositivos médicos.

Uma impressora 3D pode ser usada até mesmo no mercado de roupas e na fabricação de automóveis.

Como o seu próprio nome já indica, as impressoras 3D permitem basicamente que objetos de qualquer forma e tamanho sejam impressos diretamente das suas matérias-primas. Para fazer isso, as impressoras 3D formam uma tecnologia que se baseia em um design tridimensional.

A impressora 3D e os seus processos na Indústria 4.0

Existem muitas formas pelas quais esse processo de impressão 3D pode ser realizado. Uma das formas mais interessantes é acrescentando camadas múltiplas de matéria-prima na forma que é desejada pela empresa. Esse processo é popularmente conhecido como Manufatura Aditiva.

Esse é um recurso exclusivo que permite que uma impressora 3D forneça a peça exata ou o produto necessário feito diretamente da matéria-prima, a qualquer momento e em qualquer lugar. Ou seja, as impressoras 3D representam uma grande transformação para o cenário atual das manufaturas.


Uma das principais vantagens que convencem os fabricantes a investirem cada vez mais na chamada Indústria 4.0 é a capacidade que a empresa adquire de se adaptar à crescente necessidade de customização da sua cadeia produtiva.

Além disso, ao adotar o conceito de Indústria 4.0, a empresa também consegue introduzir novos produtos com a qualidade desejada pelos seus clientes de forma mais rápida do que os seus concorrentes.

Nesse contexto, a impressora 3D surge exatamente no centro da solução para as propostas citadas anteriormente. Isso por que a impressora 3D permite que peças ou montagens sejam fabricadas a partir de um conceito que a própria empresa pode desenvolver.

A impressora 3D permite que as empresas economizem um bom tempo no processo de criação de um novo produto ou serviço para o mercado e seus clientes.

Considerando a natureza diversa e a capacidade de lidar com diferentes materiais e processos ao mesmo tempo e em uma mesma cadeira produtiva, a impressora 3D permite aos fabricantes não só criar novos modelos de produto mais rápido, como também criar várias opções de personalização ao longo das fases de produção e logística.

Compartilhe esse conteúdo nas redes sociais e divulgue para os seus amigos o quão incrível é a impressora 3D!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *